Vídeo: Esquerda brasileira comemora caos na Argentina

Texto de Renata Barreto

Macri, que apesar de se autodeclarar liberal aplicou pouquíssimas medidas nesse sentido, é um caminho muito menos penoso do que a volta da chapa Kirchnerista na Argentina. Mesmo depois de tantos anos parece que os argentinos não aprenderam nada.

Se as prévias das eleições realmente estão certas, a Argentina deve declarar default – ou seja, não vai pagar a dívida (de novo) e voltar à moratória. A Argentina vai caminhar a passos largos rumo à sua venezualização e os esquerdistas brasileiros que agora comemoram esse resultado, continuarão achando desculpas para apoiar políticos da mesma estirpe fora do país, mesmo que ao custo da miséria e fome.

O eleitor latino-americano se une sempre no mesmo modus operandi: imediatismo, baixíssima educação financeira e econômica, paternalismo e muita vontade de acreditar em promessas vazias e populistas apenas porque o discurso é o mais fácil. Hoje mesmo a esquerda brasileira comemora o dólar a quase R$4,00, dizendo que era mentira que com a reforma da previdência (que ainda nem foi aprovada no Senado) a coisa ia melhorar. Por pura burrice ou má-fé deliberada eles se esquecem que em economia nada depende de apenas UMA variável, mas de um conjunto. Com tensões entre China e EUA e com nosso vizinho às portas do abismo, é óbvio que vai haver o movimento de “voo para a qualidade” onde os investidores migram para ativos mais seguros como o dólar e o ouro. Isso não muda o fato da reforma ser importante porque, afinal, só quem é muito cego não enxerga que sem reforma o país não vai ter dinheiro pra nada em pouco tempo.

Só espero que o eleitor brasileiro tenha evoluído mais do que o argentino e possa compreender que quando se está no fundo do poço, ainda é possível cavar um buraco. Basta continuar fazendo tudo igual e esperar por resultados diferentes. Basta não usar a tal da lógica.

Não se enganem. Quando a Argentina virar a Venezuela, nenhum esquerdista metido a besta irá mudar daqui pra lá. Não. Eles só gostam de pobreza quando é a dos outros.

Vídeo: Senado joga contra o cidadão de bem no decreto das armas

Como disse Bene Barbosa: “O que se viu ontem no Senado não foi uma discussão técnica, foi uma discussão ideológica, político-partidária, chame como quiser, mas não foi técnica. Então os senadores que ali votaram para derrubar o decreto presidencial votaram por quê? Porque são defensores do desarmamento da população civil. Eles advogam pelo monopólio da força na mão do Estado”. Assista:

Ainda segundo Barbosa, a cultura contra as armas é um fenômeno recente no Brasil. Ele afirma que as armas sempre estiveram presentes na sociedade brasileira. Segundo ele, até 1997, por exemplo, o porte ilegal nem era crime, apenas contravenção.

O projeto de lei que susta o decreto, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede) será apreciado na Câmara agora.

Vídeo: Por que R$ 1 trilhão?

Em 2018, o déficit previdenciário, soma dos resultados do setor privado, servidores públicos da União e militares, atingiu R$ 290,3 bilhões, alta de 8% em relação a 2017. Para 2019, com as regras atuais, o déficit projetado seria de R$ 309 bilhões. Trata-se de uma trajetória insustentável. Dados do Banco Mundial e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostram que os gastos previdenciários do Brasil (em torno de 13% do PIB), com apenas 8% da população acima de 65 anos, são equivalentes aos gastos da Alemanha, com 21% da população nessa mesma faixa etária.

O fim do bônus demográfico e o rápido envelhecimento da população acrescentam dramaticidade ao problema. Se com a atual relação de quatro trabalhadores para cada aposentado a conta já não fecha, o déficit tende a piorar muito nos próximos anos, se nada for feito.

O recado é claro. Ou reforma ou quebra.

Vídeo: avô de aluno de escola católica que aderiu à “greve” geral dá o recado

O Movimento Brasil Livre foi às ruas na última “greve” (fiasco) geral petista, onde em Niterói colégios católicos tradicionais como o São Vicente de Paulo aderiram com o pretexto de “proteger os alunos”.

Bernardo Sampaio encampou uma série de questionamentos à direção e obteve o depoimento de um avô de alunos sobre a situação. Assista:

Vale ou não vale acreditar nessa farsa?

Vídeos Especiais: Gabriel Monteiro no RJ e Mamaefalei em SP em manifestação “a favor da educação e “contra o corte de 30%”

O PM Gabriel Monteiro e o deputado estadual Arthur do Val estiveram nas manifestações “contra o corte de 30%” e expõem o óbvio: a esquerda se mobiliza por algo que não existe. Não há corte.

Veja o nível de argumentação dos “estudantes” no vídeo do Arthur:

E o mesmo parece ter acontecido no vídeo do Gabriel.

Os vídeos são autoexplicativos. Inacreditável e difícil de entender a mentalidade esquerdista brasileira.